Quando temos uma dúvida, levantamos as mãos, perguntamos ao Google e ele responde.

Mais do que uma expressão, “Google it” é uma forma de estar na vida. É um “não sei agora, mas vou descobrir. Dá-me 5 minutos!”.

Mais alguém tem a sensação de que “Google it” é o equivalente do século XXI para o “só Deus sabe” das gerações anteriores?

O Google é o maior mecanismo de pesquisas do mundo; e, se uma empresa tem a solução para um problema, haverá algo mais relevante do que mostrar o seu produto a alguém que está ativamente à procura dele? É aqui que entra o Google Adwords, a principal fonte de receitas do Google.

Google Adwords

Se pesquisarmos “Google Adwords” no Google, depressa descobrimos que o primeiro resultado tem a marca “Ad”. INCEPTION ALERT: O Google criou um anúncio no Google Adwords para promover o próprio Google Adwords. Isto significa que, se clicarmos nesse link, vai ser cobrado um valor ao Google. Isto é aquilo que se chama uma campanha de Search Network.

Também já vos deve ter acontecido descobrirem que alguém está à procura de – sei lá! - um mestrado, um anel de casamento ou até mesmo à espera de um bebé, porque, durante uma reunião, essa pessoa entrou num site e só lhe apareceram banners coloridos com, respetivamente, candidaturas a bolsas de estudo, anéis de casamento e fraldas. Isto é o que se chama saber montar uma campanha no Display Network.

Se eu tivesse de traduzir o Google Adwords numa única frase, it'd go like this: o ato de dizer a coisa certa à pessoa certa no momento certo.

O Google Adwords permite promover um negócio, produto ou serviço de forma direcionada, segmentada e também mensurável, mas há alguns pontos-chave que devem ser levados em consideração na altura de montar uma campanha no Adwords. Estas são algumas das FAQS que, a meu ver, merecem destaque sobre o tópico:

SEE ALSO: Vitamina.Unplugged: Ivo Catalão

Onde anunciar: Display Network Only, Search Network Only ou um híbrido?

Se queremos responder a uma necessidade que há no mercado, devemos escolher: Search Network Only. Se queremos criar desejo e interesse pelo produto, devemos escolher Display Network Only. Por outras palavras, se o objetivo é obter leads, opte-se por por uma campanha de Search; se o objetivo é gerar notoriedade, uma campanha de Display é uma boa opção. Dizem as boas práticas que, nunca, em caso algum, devemos escolher um híbrido - nunca misturar Search com Display. Note-se que o Google também permite correr anúncios no Gmail, Youtube e no Google Shopping.

Os consumidores quando clicam num anúncio sabem que estão a clicar num anúncio?

Dados recentes mostram que 46% das pessoas não sabe distinguir anúncios de resultados orgânicos desde que foi retirada a coluna da direita.

O que é uma Landing Page?

Uma Landing Page é o sítio onde um potencial cliente aterra depois de ter clicado num anúncio. Geralmente tem um formulário para captação de dados.

É importante pensar na estrutura das campanhas no Google Adwords?

Sim. É importante pensar na estrutura da campanha antes de meter as mãos à massa, porque não planear, geralmente, significa planear para falhar. Posto isto: começamos por definir o objetivo da campanha e quanto queremos investir; de seguida, definimos o nosso público-alvo e listamos as palavras-chave certas para o negócio. Numa fase inicial, é importante decidir quantas Landing Pages vamos criar, assim como anúncios.

O Google Adwords disponibiliza ferramentas de pesquisa úteis?

Sim. Depois de definirmos o objetivo, devemos utilizar o Keyword Planner para encontrar novas keywords, no caso de uma campanha de search. É recomendável avançar com uma boa base de keywords. No caso de querermos procurar anúncios dos concorrentes, podemos fazê-lo na ferramenta de diagnóstico, com vista a perceber o que funcionou melhor assim como as opções estratégicas dos concorrentes.

Quantos anúncios deve ter um conjunto de anúncios?

Dentro de uma campanha, podemos ter vários grupos de anúncios, dentro dos quais existem vários anúncios. Cada grupo de anúncios devo contar com, no mínimo, 2 anúncios por grupo (rotação otimizada é aconselhável); na localização, é muito importante segmentar sempre “people in my targeted location” - para garantir que são pessoas que efetivamente vivem na zona que queremos impactar.

As cores utilizadas nos anúncios de Display devem ser as mesmas que foram escolhidas para a Landing Page?

Sim, para evitar que a pessoa clique num anúncio azul, aterre numa landing page vermelha, sinta que se enganou e salte fora da página depois de dois segundos.

É sábio seguir todas as recomendações do Google?

Não, porque no limite o Google Adwords é um negócio. Por isso, cuidado com as bids sugeridas e convém começar sempre com CPC manual.

É necessário conectar o Adwords com o Analytics?

Sim.

Como saber se há espaço para crescer?

Há uma métrica interessante no Google Adwords que nos dá essa informação: Search Impression Share. Pela análise desta métrica, conseguimos perceber se ainda é possível conquistarmos quota de mercado.

É importante ativar o auto-tagging?

Sim, sob pena de termos de ser nós a criar o código de identificação de cada URL de cada anúncio. E isso dá uma trabalheira!

É importante ter a a certeza de que os trackings estão bem configurados?

Sim. O Google Adwords disponibiliza uma tag para cada conversão que queremos monitorizar. Por exemplo, se queremos monitorizar as subscrições de uma newsletter, basta colocar essa tag na Thank You Page, entre as tags <body> do código-fonte da página. Note-se que os objetivos criados no Adwords devem ter correspondência direta com os objetivos criados no Analytics.

 

vender é humano

 

SEE ALSO: VItamina.Unplugged: Ivo Catalão

Com as informações oferecidas pelo AdWords, o anunciante pode identificar quais os anúncios que estão a funcionar melhor e, dessa forma, perceber onde deve investir. Também é possível “acompanhar” as pessoas que visitaram páginas específicas, e exibir novos anúncios por meio de remarketing. Tudo isso é devidamente contabilizado, para que o anunciante possa acompanhar o retorno do investimento no AdWords.

Artigos Relacionados