A criação de branding nem sempre é fácil. Arrisco-me a dizer que será o processo mais meticuloso de todos. Se fizermos uma comparação entre a vida humana e a de uma marca, facilmente conseguimos entender que a formação inicial de um ser vivo é, possivelmente, a etapa mais importante, a mais incrível e a mais bonita de todas. Vamos à das marcas?

 

1- Como se inicia a vida de uma marca?

Não, as marcas não chegam no bico de uma cegonha, nem tão pouco crescem em laboratórios. As marcas ganham a vida que nós lhes damos e são feitas de algumas horas de análise de mercado e de trabalho intenso em parceria com o cliente. Mas antes de todo este processso começar, precisamos de um briefing. O briefing é todo o pedido que é feito à agência e o ponto de partida mais importante. É uma espécie de guia que nos irá ajudar a manter o rumo. 

No briefing deve constar, detalhadamente, os objetivos que o cliente tem para a sua marca. Não raras vezes, o cliente não sabe exatamente o que pretende e cabe-nos a nós, Vitamina., ajudá-lo a encontrar o que poderá ser. Nesta fase, devemos estar em sintonia em relação a timings, orçamento, funcionamento do negócio do cliente, público-alvo que a marca quer atingir e quem sabe até preferências pessoais do nosso cliente.

 

2- Olhar para fora para saber o que a marca vai ser

O sucesso de uma marca depende, muitas vezes, do quão diferente ela é da concorrência. Às vezes, o produto não é novidade mas o que a vai tornar única é a forma como a comunicamos. E tudo isto faz parte do processo de branding. Antes de começarmos, temos de olhar para a “prateleira do supermercado” e perceber onde vai estar o nosso produto/serviço. Perceber os pontos fortes e os fracos da concorrência ajuda-nos a identificar o desafio e o ponto de diferenciação da nossa marca.

Depois de tudo isto identificado, voltamos a olhar para o nosso público-alvo e vamos esmiuçar o que ele nos tem para dizer: do que gostam as pessoas que vão comprar a nossa marca? O que fazem? Com o que se identificam? Onde vivem? Qual o seu lifestyle? Que idade têm? Que desejos têm? O que aspiram ser...e tantas outras perguntas podem ser feitas, dependendo da complexidade da nossa oferta.  É também uma boa prática vermos exemplos e referências do que a nossa marca quer vir a ser. Todos nós temos um ídolo na música. E nas marcas? Qual é/será a nossa marca-ídolo?

 

3- Olhar para dentro para definirmos quem é a nossa marca

A terceira fase é o chamado “período de introspeção”. Já pensaram o quão bom seria, se antes de nascermos, alguém nos desse a oportunidade de definirmos exatamente o que queremos ser? No mundo das marcas, isto é possível e ajuda imenso na definição da brand identity.

Na Vitamina., seguimos o modelo sugerido por Simon Sinek, no seu TED Talk “Start with Why”. O modelo do Golden Circle é uma forma inspiradora de desafiar o imposto e encontrar a essência das marcas.
Traduz-se em três níveis de percepção, com diferentes objetivos, que no fim se vão completar entre si. O “Why”, o “How” e o “What”. No fundo, o nosso propósito, o nosso processo e o resultado.

Se pensarem num exemplo simples, o da Nike, facilmente conseguem perceber a importância destes três pontos. Why: A Nike tem como principal propósito a superação dos limites do ser humano através do desporto. How: Para isso desenvolve soluções tecnológicas de alta performance para um resultado muito específico. What: Sportswear que nos ajuda a superar mais e mais desafios. Este é um exercício super interessante para se fazer em casa com outras marcas conhecidas como a Coca-Cola, a Apple, a Adidas, etc. Uma marca de sucesso deve ter um propósito autêntico. Afinal, é aqui que se encontra a sua verdadeira essência!

 

4- Definir os pilares que nos vão guiar sempre

Numa quarta fase, é necessário definir os pilares que irão guiar a nossa marca agora e, quem sabe, para sempre. E aqui entra a Missão, a Visão, a Personalidade da marca e o Posicionamento. Tudo isto parece rebuscado, mas se o trabalho do ponto anterior tiver sido bem feito, definir estes quatros pontos é “peaners”! Resumidamente, ter uma Missão é fundamental e vai muito além do objetivo final do negócio que, todos sabemos, será sempre vender. A Missão é como uma motivação extra quando as coisas correm menos bem e deve ser relembrada e partilhada por todas as pessoas que envolvem o negócio da empresa. A Visão é a meta final. É o máximo até onde queremos ir e deve ser traduzida numa frase simples.

 

5- Quais os traços gerais da nossa personalidade e que mensagem vamos querer passar? 

Por fim, a marca tem uma personalidade própria que deve estar espelhada no principal elemento, o logotipo, mas não só. Deve estar refletida em todos os suportes de comunicação. Voltemos então ao ponto inicial deste artigo: comparar marcas a pessoas. Há todo o tipo de pessoas. As tímidas, as corajosas e rebeldes. Há as misteriosas e as divertidas. Que personalidade terá a nossa marca?  

Este será, também, o ponto certo para definirmos que mensagem queremos transmitir: o posicionamento da marca é o lugar que a marca ocupa, perante a concorrência e na mente do consumidor. É o resultado da nossa essência, dos nossos pilares e da nossa personalidade que queremos manter sempre presentes. E quanto mais diferenciador, melhor!

 

6- E por fim, o logotipo! 

Que longo o processo de branding é! Finalmente, o logotipo. Este é o elemento mais importante da nossa marca e aquele que vai transmitir todos os pontos acima referidos de forma simples e clara. O logotipo é o elemento mais visível e o que nos vai distinguir de toda a concorrência. Em termos visuais, o logotipo deve ser perceptível, adaptável aos diferentes suportes onde a marca vai viver, deve ser diferenciador e único. E, por fim, em termos de amplitude cromática e de formas, o logotipo tem de transmitir todo o trabalho que foi definido anteriormente para a marca.

Este será, também, o ponto certo para definirmos que mensagem queremos transmitir: o posicionamento da marca é o lugar que a marca ocupa, perante a concorrência e na mente do consumidor. É o resultado da nossa essência, dos nossos pilares e da nossa personalidade que queremos manter sempre presentes. E quanto mais diferenciador, melhor! 

 

Entusiasmado? Vamos começar um novo processo de branding juntos?

Artigos Relacionados